Principais Novidades Para Android no Google IO

Principais Novidades Para Android no Google IO

| android | Reading time 6 min

Saiba as principais novidades do Android N e outras coisas muito bacanas para desenvolvedores Android lançadas no Google IO. Você também pode assistir ao meu vídeo inédito Resumão do Google IO.

Neste post vamos falar sobre as principais novidades divulgadas sobre o Android N e outras coisas para Android no Google I/O onde pela primeira vez, tive o privilégio de participar presencialmente.

O Google I/O é o maior evento anual do Google onde são anunciados novos produtos, nova versão do Android e muito mais! Este ano ele ocorreu de 18 a 20 de Maio em San Francisco na Califórnia.

Nome da versão

Se você como muitos, esperava saber o nome da nova versão do Android, vai ficar na mão. Neste ano não foi divulgada o nome da nova versão, ao invés, foi divulgado um link para os desenvolvedores darem sugestões.

Em teoria, o nome deve vir destas sugestões. Pelo menos para mim é difícil pensar em um doce brasileiro que inicie com a letra N e que não seja Nutella 8).

Android Studio 2.2

O Android Studio veio cheio de novidades bacanas mais relacionadas a design de interfaces.

Agora podemos contar com um clip and point que de fato funcione e cheio de funcionalidades que te ajudam a criar uma tela bacana e seguindo o Material Design sem ter que decorar quantos dps devemos usar em cada lugar, pois a IDE tem agora constraints que te ajudam com estes números.

Além de não ter que decorar o Material Design inteiro, ela também gera xml de layout mais performáticos, ou seja, não temos mais que escolher por nós mesmos se vamos usar um LinearLayout ou um TableLayout ou etc, ao criar a tela com o Design Mode o xml gerado vai buscar ser o mais performático.

Outro ponto legal é que a IDE já vai deixando sua tela responsiva a tamanhos de tela e orientações diferentes, por conta dessa ideia das constraints.

É basicamente o sonho dos desenvolvedores que conheceram o eclipse e sabem que o Design Mode de lá é balela há alguns anos. A tendência é que a preferência por editar xml para fazer telas do Android se reverta em usar estas novas funcionalidades.

Mais um funcionalidade super bacana é que agora é possível fazer a gravação de testes realizados com o Espresso. É mágico de tão legal e fácil que ficou criar testes funcionais! É como se gravasse uma macro, você coloca a IDE para gravar, usa o app fazendo o teste que você quer gravar e ele vai gerando o roteiro do Espresso.

Ainda há uma série de outras funcionalidades bacanas com o APK Analyzer, Layout Inspector, a integração com a última versão do IntelliJ, suporte a C++ e outras mais. É muito coisa para um post só!

Notificações

O Google deu uma repaginada nas notificações, agora podemos configurar coisas como o direct reply onde o usuário consegue responder a notificação sem ter que abrir o app relacionado a ela, ou seja, ele faz isso dali da lista de notificações mesmo.

Há uma série de outras melhorias aqui como novos templates e formas de o usuário silenciar notificações.

Multi-window

Sabe aquela funcionalidade que a Samsung já tem a eras de dividir a tela e usar dois apps diferentes? Pois é, agora podemos oficialmente implementar isso nos nossos apps Android. Legal né!

Junto com isso eles evoluiram a funcioanlidade de drag and drop para ser possível fazer isso entre activities.

Display size (sobre acessibilidade)

Agora os usuários poderam mudar o tamanho como eles veem as coisas em todo o app. Ou seja, vai aparecer no app uma barra progressiva onde as pessoas podem aumentar ou diminuir e isso vai influenciar na altura da action bar, no tamanho da fonte, e etc.

É uma funcionalidade bem interessante para pessoas que tem problemas de vista.

Android Instant Apps

Agora mesmo que o usuário não tenha um app instalado no device, ele conseguirá usar uma parte específica do app. Basicamente o app será automaticamente instalado, mas não o app inteiro, apenas a parte necessária para rodar determinada parte do aplicativo que é necessária.

Imagine que você mande um link de uma música do Spotify para alguém que não o tenha instalado, quando esta pessoa clicar no link, a parte para exibir a música será automaticamente instalada.

Tecnicamente, para que isso funcione seu app precisa funcionar bem com deeplinks além do desenvolvimento ter de ser modularizado.

Direct boot

Sabe aquele loading que aparece quando reiniciamos o Android, dizendo que está otimizando os apps e que ficava um tempão nesta tela de app em app compilando 1 a 1?! Pois é, graças a melhorias feitas no JIT, esta parte do código não existe mais! #Rocks!

Java 8

Funcionalidades como lambdas, methods references, repeatable annotation, default methods e outros finalmente serão suportados! E digo mais, muitas destas novidades do Java 8 também poderão ser usadas nos xmls de layout.

Essa funcionalidade de poder colocar alguns códigos nos xmls é chamada de Data Binding e foi lançada em 2015. Este ano fizeram uma série de melhorias possibilitando usar alguns conceitos do Java 8 também. Particularmente eu achei muito bacana!

Firebase

Sem dúvida um dos maiores destaques de todo o Google IO foi o Firebase. O Google resolveu investir de fato nesta ferramenta como seu Mobile Backend As A Service (MBAAS).

O Firebase agora disponibiliza todo um stack de ferramentas para desenvolvimento mobile como banco de dados (NoSQL), Cloud Messaging, Storage para arquivos estáticos, TestLab para testes automatizados com várias integrações disponíveis, autenticação, analytics e muito mais.

Vale mencionar também que ele está completamente integrado ao Android Studio, ou seja, começar a usar qualquer destas ferramentas é muito simples.

Durante todo o evento houveram palestras que entraram mais a fundo em cada uma das ferramentas. Vale ressaltar que alguns deles são de graça, o que torna bem legal de usar. Mas infelizmente algumas ferramentas bacanas ficaram de fora do pacote gratuíto como o TestLab. Pena, mas confira os planos existente no site, afinal, isso pode sempre mudar.

Outro ponto interessante é que o GCM (Google Cloud Messaging) agora é FCM (Firebase Cloud Messaging), isso mesmo. O Google uniu as duas ferramentas.

No momento que vi esta parte do KeyNote me lembrei imediatamente do Fabric do Twitter pois algumas ferramentas do Firebase como Analytics por exemplo, resolvem problemas que algumas ferramentas do Twitter resolvem também. Bem, ambas me pareceram muito boas.

Não Para Por Aqui

Este ano o Google IO foi como sempre espetacular. Estas são algumas novidades mas existem ainda muitas outras como Vulkan, support library, multi locale, quickly settings e outras. Para cada uma dá um post sozinho e que pretendo escrever alguns mais detalhados mostrando como usar aqui.

E você, gostou das novidades? O que gostaria de ver em mais detalhes? Deixe aqui seu comentário!

Referências